quarta-feira, 28 de setembro de 2011

A NATUREZA DO CÂNCER


Dr. Ernst Krebs

http://www.natural-health-girl.com/vitamin-b17-and-cancer.html

                   Introdução à Vitamina B17 e o Câncer

(Palestra dada na CCS Segunda Convenção Anual do Câncer, Hotel Ambassador, Los Angeles, Califórnia, 1974)



Dr. Krebs


 
É certamente um prazer estar aqui na Segunda Convenção Anual da Sociedade do Controle do Câncer, uma conseqüência, como vocês sabem, da Associação Internacional de Amigos das Vítimas do Câncer.

Quando olho para trás ao longo dos anos vislumbrando o surgimento destas duas sociedades, me lembro do número de vitórias milagrosas que tivemos naqueles anos de intervenção, que são tão verdadeiras hoje como eram 11 anos atrás, que o Laetrile, Vitamina B17, é a primeira e a última esperança no tratamento do câncer no homem e nos animais. A razão para isto é que Laetrile é uma vitamina. É a 17ª das vitaminas B.


Amêndoas do caroço

 
Ouvimos muita coisa sobre o seu uso no câncer terminal, mas que a hora de começar com a vitamina B17 é agora, antes que a doença se torne clínica. O tempo para começar é o mesmo de qualquer questão sobre nutrição adequada, e isso é agora. Você pode começar agora comendo as sementes de todas as frutas comuns que você come. A semente de damasco (apricot) e pêssego contêm quase 2 por cento de vitamina B17 em peso. A semente de maçã, apesar de muito pequena, é igualmente rica em vitamina B17. Assim são as sementes das ameixas secas, ameixas, cerejas e nectarinas. As únicas frutas comuns no hemisfério que não têm sementes nitrilosídicas são as frutas cítricas. Esta falta surgiu pelo cultivo artificial por meio de cruzamento e hibridação, uma vez que as sementes de frutas cítricas no continente africano ainda contêm vitamina B17.



 
Duas fontes mais ricas de vitamina B17 são o painço (milete, comida de aves), e o trigo-sarraceno. As nozes, macadâmia, embora caras e exóticas, são muito ricas em vitamina B17, como são os brotos de bambu, mung beans, feijão manteiga, e algumas estirpes de ervilhas de jardim. Mas por conveniência, a fonte simples para sua vitamina B17 são as sementes da fruta comum.

Sabemos alguma coisa sobre a dose profilática da vitamina B17. Por exemplo, sabemos que os Hunza representam uma população que esteve livre do câncer por mais de 900 anos. Esta população himalaia tem uma dieta natural, a qual fornece em média entre 50 a 75 miligramas de vitamina B17 por dia.

Hunzalândia é uma terra que por vezes tem sido descrita como o "lugar onde o damasco é rei". Os Hunzakuts comem os damascos frescos pelos três meses que eles estão na época, e o restante do ano comem os damascos secos. Eles nunca comem um damasco seco separado das sementes. Isso fornece a eles uma média maior do que os 50 a 75 miligramas de vitamina B17 por dia.

Há muitos de nós no mundo ocidental que não ingerem essa quantidade de vitamina B17 no curso de um ano inteiro. Como resultado, estamos em plena e fulminante deficiência da vitamina B17, ou nitrilosídeo, a vitamina anti-neoplásica. Sua ausência das nossas dietas concorre para o fato que o câncer em nossa população alcançou proporções de pan-epidemia, como demonstra a ocorrência de um caso para três entre as famílias americanas. A ocorrência é provavelmente muito maior do que isso porque já é muito tarde no desenvolvimento do câncer o momento de sua detecção. Muitas pessoas que desenvolvem câncer morrem por doenças intercorrentes ou por acidentes antes que o processo de malignidade tenha se tornado suficientemente avançado para causá-lo e ser diagnosticado.

Doenças Metabólicas

O câncer é uma doença crônica metabólica... o que é óbvio. Ele não é uma doença infecciosa que é causada por bactérias ou vírus. É uma doença metabólica em origem. A doença metabólica é uma doença que está ligada a nossa utilização dos alimentos. A maioria das doenças metabólicas tem como base específica vitaminas e minerais. Deixe-me dar-lhes uma verdade axiomática ou categórica para levarem para a casa. Uma verdade que é totalmente incontradizível, cientificamente ou historicamente em qualquer modo: a doença crônica ou metabólica na história das diferentes medicinas nunca foi prevenida ou curada exceto por fatores normais da dieta, ou normais segundo a economia do animal. Houve muitas doenças devastadoras e fatais que agora se tornaram virtualmente desconhecidas. Elas foram prevenidas e curadas pela ingestão de fatores dietéticos, e portanto, preventivos dessas deficiências as quais contavam para estas doenças.

Uma das quais vocês estão familiarizados provavelmente é o escorbuto, uma doença fatal que matou muitos milhares de seres humanos, uma doença que às vezes dizimava toda uma expedição polar, ou que contou com 50 % de mortalidade entre os Cruzados. Uma doença que é totalmente prevenível e totalmente curada pela Vitamina C, ou ácido ascórbico, um fator normal da dieta.

Como vocês sabem tão bem dos seus dias de escola, a Grã-Bretanha adquiriu o domínio dos mares ao descobrir empiricamente que ao acrescentar sucos cítricos à comida das tripulações dos navios, a maldição do escorbuto era afastada do poder marítimo britânico. Portanto, a Grã-Bretanha competitivamente ganhou ascendência sobre os mares. Antes da incorporação da vitamina C em suas dietas, não era incomum que três quartos de uma tripulação tornava-se gravemente doente no final de uma viagem, e que aqueles que se recobravam eram os que conseguiam chegar às praias e tinham acesso às frutas frescas ricas em vitamina C.

Assim nós temos a anemia perniciosa, a qual tinha uma taxa de mortalidade de 98 ou 99 por cento. E nenhuma modalidade médica sob o sol poderia tocá-la. Arsênico e seus sais, estricnina, ferro e centenas de outros remédios foram tentados, mas sem sucesso até que os pesquisadores doutores Murphy, Shipple e Minot, começaram os seus estudos clássicos sobre a relação da anemia perniciosa com a deficiência alimentar.

Enquanto trabalhavam na Universidade da Califórnia descobriram um remédio muito simples para prevenir e curar esta doença. Eles simplesmente disseram a seus pacientes, "vão até lá embaixo no açougue e obtenham um quarto de quilo de fígado fresco. Tomem uma colher de sopa de suco de fígado ou cozinhem-no em fogo brando por três dias apenas cozinhando a superfície”. Todos aqueles que seguiram rigorosamente a receita se recuperaram inteiramente da anemia perniciosa. Apesar disso, estes homens foram censurados pelo establishment médico na época e foram criticados por terem se envolvido no que chamavam charlatanismo médico.

O argumento era, como pode médicos respeitáveis aconselharem as pessoas a irem ao açougue e comprar fígado cru esperando que isso curasse uma doença que tem uma taxa de mortalidade 99 por cento? E porque ignoravam todas as drogas estabelecidas da ciência médica? Bem, o fígado cru curava a doença e a prevenia. Quando a química do fígado foi estudada, se descobriu que os fatores responsáveis eram a Vitamina B12 e o ácido fólico. Hoje eles são parte da nossa experiência de uma dieta normal.

Assim, em 1974, os desinformados, os sem imaginação, e alguns analfabetos estão preocupados com o que para eles é uma idéia prepóstera que, ao comer a semente de uma fruta você pode prevenir uma doença que carrega uma taxa de mortalidade quase tão alta como a que uma vez alcançou a anemia perniciosa. Mas a verdade científica não é dependente de credibilidade ou da falta dela. A realidade científica é ou não é. E é uma realidade científica que as sementes de todas as frutas comuns (exceto cítricos) contêm vitamina B17, uma vitamina anti-câncer. Se vocês ingerirem quantidades adequadas destas vitaminas, seja na forma pura ou através da ingestão de alimentos nitrilosídicos, seremos capazes de prevenir esta doença. Isso é tão certo como conseguimos prevenir o escorbuto ou a anemia perniciosa pelo uso da vitamina C e a vitamina B12.

Havia uma outra doença que é de natureza metabólica ou crônica e esta é a Pelagra. Houve um tempo que ela era tão endêmica que havia no sudoeste americano hospitais especializados para ela.

O grande Sir William Osler em seu "Princípios e Práticas de Medicina", escreveu na virada para o século XX sobre a pelagra: "Eu estava em Lenoir, Carolina do Norte, durante um inverno, e neste inverno eu visitei o lar de negros insanos onde 75% dos internos morriam desta doença. Ela era avassaladora nesta instituição, e me convenceu além de qualquer dúvida que a pelagra era um vírus infeccioso”.

E então vieram os ótimos trabalhos do United States Public Health Service do Dr. Goldberger, que mostrou conclusivamente que a ocorrência da pelagra estava relacionada com uma deficiência de material verde fresco na dieta. Então Dr. Goldberger abordou este problema pela primeira vez com o uso da levedura dos cervejeiros, a qual preveniria e curaria completamente a pelagra. Estudos adicionais, em seguida, mostraram que o fator de levedura de cerveja mais determinante deste efeito era a niacina, a vitamina B3.

Assim, uma outra doença metabólica crônica fatal encontrava resolução total e cura por meio de fatores da dieta normal ou da economia animal. Sabemos que o câncer não é uma exceção a essa grande generalização, e que até esta data não se conhece exceção, de modo que toda doença crônica ou metabólica a ser curada pelo homem, deve ser controlada por meios que façam parte da experiência biológica do organismo. As doenças crônicas e metabólicas não podem ser curadas ou prevenidas por fatores estranhos à experiência biológica dos organismos.

Vamos deixar claro por aquilo que queremos dizer por experiência biológica do organismo. Referimo-nos à experiência que o organismo tem tido ao longo dos milhões de anos de sua evolução. O organismo esteve exposto à água, ar, carboidratos, gorduras, aminoácidos e sais, e vários destes fatores tornaram-se integrados ao organismo em evolução. E esses fatores com o organismo em evolução foram incorporados na linda maquinaria da "vida". Tal mecanismo vital funciona como as peças de um relógio suíço, embora infinitamente mais complexo.

O Dr. Thomas do Instituto Sloan Kettering, em um recente artigo na Science, disse: "Estou grato que o meu fígado funciona sem o meu conhecimento. Eu não tenho um cérebro para começar a fazer um milionésimo de que meu fígado faz. Essas coisas são automáticas. Então, eu engulo um alimento e esta máquina infinitamente complexa cuida de tudo por si mesma”. Poderíamos passar anos falando a vocês sobre as maravilhas desta máquina e ainda não tocaríamos a superfície do oceano infinito. Nós sabemos que não há nada que possamos fazer para melhorá-la. Sabemos que na história da medicina nunca foi encontrado nada de estranho ao habitat dessa máquina que fizesse qualquer bem ao organismo vivo. E podemos ir mais longe, dizendo que nunca na história da medicina foi encontrado algo estranho ao ambiente dessa máquina que não fosse prejudicial ao organismo.

Ciência, não uma saída mágica

Não há nada que possamos acrescentar à nossa água, ao ar e aos alimentos que os melhorem. O máximo que podemos fazer é olhar para alguns dos nossos alimentos desvitalizados e esperançosamente tentar substituir o que foi caprichosamente removido deles no processo do refino de alimentos, manipulação ou cozimento. Não há absolutamente nada que podemos acrescentar a esses alimentos para melhorá-lo. Essas coisas são básicas.

Não há qualquer produto químico ou medicamento que a ciência médica possa sugerir que nos torne mais saudáveis, ou mais ajustados, ou mais sábios, ou dar-nos esperança para uma vida mais longa. Não há uma única droga ou molécula na natureza que pode fazer isso senão uma molécula que existe no alimento normal. E isso provavelmente explica uma das razões por que há tanta resistência ao Laetrile, B17.

A aplicação desta ciência nos coloca face a face com um monte de coisas que não gostamos de enfrentar. Nós nos tornamos super-civilizados. Estamos inclinados a pensar pelo nosso ilusório sentir que há uma coisa que poderemos encontrar aqui ou ali, uma saída mágica; que deve haver algo, ou uma outra força feita pelo homem além da nossa compreensão que fará para nós tal coisa.

Não é no campo do câncer unicamente que vemos esta forma de charlatanismo ou enganação. Vemo-los na área da mente humana, nas tentativas fúteis para poupar o homem das realidades que o cercam; acima de tudo para poupá-lo do fato de que ele é responsável perante si mesmo e ao seu Deus, e que não há atalho nesta prestação de contas.

É real no nível físico. E quando estamos comendo menos adequadamente do que deveríamos, nós sabemos melhor, e quando continuamos com isso estamos nos envolvendo em pecado - esta é a base para praticamente todas as nossas dificuldades físicas, mentais e espirituais. É melhor ser realista sobre isso porque não fazemos as coisas certas. E quando nós falhamos em vista de nosso conhecimento, como agora em relação à vitamina B17, isto é um pecado contra a nossa natureza física. E quando nós desenvolvermos o câncer receberemos os resultados desta transgressão à maneira da velha moda bíblica que diz: "o salário do pecado é a morte."



o câncer


Tomando suficiente Vitamina B17


Se vocês não estão tomando vitamina B17 na sua comida, o melhor caminho é obtê-la na sua forma pura. Se vocês têm câncer, a consideração mais simples é obter a quantidade máxima de Vit B17 para seus corpos no período mais curto de tempo. Isso é secundário à habilidade médica envolvida em administrá-la, a qual é relativamente mínima. Assim há muito frequentemente muitas medidas de apoio que são tomadas no manejo do paciente com câncer, tais como o uso de materiais para fortalecer o sangue, aumentar ou diminui a pressão sanguínea e aliviar a dor.

Enzimas pancreáticas e enzimas vegetais são parte da teoria de apoio. Vocês têm o mamão papaya como fonte da enzima papaína e o abacaxi como fonte da bromelina.

O efeito desnudador destas enzimas contra a camada pericelular da célula maligna é algo muito concreto na imunologia do câncer. Hoje eu prefiro, mais do que aconselhar o uso de comprimidos de bromelina ou papaína, que o indivíduo busque essas enzimas diretamente do abacaxi maduro e do mamão. Uma metade de um abacaxi deve ser comida diariamente. Este é o caminho. Vocês não têm nada a perder comendo mamões e abacaxis frescos; nada a perder comendo painço e as sementes de todas as frutas comuns inteiras.

As deficiências alimentares chegam primeiro do comer menos do que a comida inteira. Isto explica porque os governos estaduais e federal tornaram obrigatório o enriquecimento artificial da farinha branca. Olhe para qualquer fatia de pão branco ou farinha branca que foi enriquecida pela adição de vitamina B1 cristalina, vitamina B2, niacina, ferro, e todo o resto. Que comentário sobre a estupidez de nossa civilização! Ela usa processos industriais que retiram os nutrientes essenciais e depois obriga por ordens governamentais as pessoas a restaurar as coisas que foram jogadas fora. Um dos fatores mais críticos é o do germe de trigo, o qual contém Vitamina E e ácidos graxos poliinsaturados. Não seria necessário suplementá-los se deles não fossem retirados os elementos essenciais.

Agora algo sobre a adição de suplementos à vitamina B17

Nós não podemos pensar em termos de uma só vitamina. Nós temos uma dieta adequada quando comemos uma ampla variedade de comidas naturais tanto quanto possível, e quanto o mais cedo na vida, melhor. Existe terapeutas do Laetrile que recomendam 2 ou 3 gramas de ácido ascórbico (Vitamina C) em conjunto com o programa Laetrile. Esta é uma recomendação muito moderada, por isso podemos falar em 7 ou 8 gramas de vitamina C sem quaisquer problemas. Isto é próximo da mesma quantidade que primatas superiores como o gorila, em uma base peso a peso, que ele ingere no seu habitat normal. Incidentalmente, o gorila no seu habitat natural come cerca de 100 ou 125 miligramas de vitamina B17 por dia, também. Como o povo da Hunzalândia, estes gorilas estão livres do câncer, assim como os ursos no habitat natural, na vida selvagem, que não desenvolvem câncer. No zoológico de San Diego havia uma jaula com cerca de 10 ursos e 7 fora dela. Os 7 desenvolveram câncer. Para alguns, isso era um sinal que algum vírus misterioso cancerígeno estava envolvido. Mas não era isso. Na vida selvagem os ursos são onívoros e comem montes de frutinhas vermelhas nitrilosídicas. Quase todas as frutas são nitrilosídicas. Tenham em mente o quão longe nós nos desviamos das necessidades dietárias da nossa máquina. Quando evoluímos e chegamos à maturidade como organismos cerca de 8.000 ou 9.000 anos atrás o mundo testemunhou o advento da agricultura e da horticultura, que veio depois. Milhões de anos antes disso, nós comíamos cherries, pêssegos, damascos, ameixas, e o resto das sementes de todas as frutas. Elas continham vitamina B17, mas no processo da hibridização esta foi removida. Os frutos que comemos hoje são o produto de anos e anos de manipulação, cultivo para abundância e assim por diante, assim a carne destes frutos (endocarpo) não contêm Laetrile, vitamina B17. Para achar as necessidades in natura da vitamina B17 devemos suplementar nossa dieta com vitamina B17 em comprimidos. Não podemos ter por enquanto no presente, mas esperamos ver logo a vitamina B17 disponível para prevenir o câncer do mesmo modo que suprimimos o escorbuto.

Muitos novos livros sobre o Laetrile estão chegando. Ambos são escritos por pessoal não-médico – O MUNDO SEM CÂNCER, de Edward Griffin, e Vitamina B17: A Arma Proibida Contra o Câncer de Mike Culbert. Nós todos somos leigos no campo de câncer. Existem mais leigos no movimento Laetrile que sabem mais sobre câncer do que algumas das mais prestigiosas instituições. Esses leigos sabem o suficiente sobre ele para se manter sadios e não morrer. Assim vocês são especialistas furados se vocês souberem tão pouco sobre o câncer a ponto de sucumbir a ele ou ver sua família ter o mesmo destino.

Nós temos muitos casos de histórias de pessoas que foram ajudadas pelo Laetrile. Tanto Alicia Buttons como Mary Anderson foram pacientes terminais de um câncer da orofaringe, o qual tem uma taxa de mortalidade de 98-99%, mesmo com diagnóstico precoce. Ambos fizeram notáveis recuperações com o Laetrile sob a supervisão do Dr. Hans Nieper na Alemanha.

Nós sabemos que nós temos nos encontrado por 10 ou 11 anos e estivemos ouvindo esta história. Toda vez após o encontro vocês têm 360 dias para em casa ler os jornais, ou saber da Sociedade Americana do Câncer Boiler Plate e outras. Nestes dez anos eles não lhes disseram nada contra o Laetrile que faça sentido. Vocês podem estar muito certos que eles não têm nada contra o Laetrile porque essas pessoas são muito desinibidas, e a área em que elas são mais desinibidas é a área das mentiras. Se vocês têm quaisquer questões sobre o Laetrile, quanto mais críticas forem, melhor, porque estamos lidando com ciência sólida. Estamos lidando com uma ciência que admite que não há nenhuma alternativa racional a ela nos dez anos que passaram desde esse encontros.

NADA TEM ACONTECIDO EXCETO QUE O MAIS ÓBVIO FATO É QUE O LAETRILE, A VITAMINA B17, É A RESPOSTA AO CÂNCER.

 
Tradução: Charles London

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

VISÕES SIONISTAS DE 1984












Visões Sionistas de 1984 
pelo irmão Nathanael Kapner 



O lendário romance de George Orwell, "1984", escrito no final da Segunda Guerra Mundial, foi concebido como um aviso para o mundo ocidental sobre os perigos de um estado totalitário.

Neste trabalho finamente realizado, Orwell descreve com grande detalhe esse estado ditatorial - para ser mais exato, um "regime monocrático" - governado por aquilo que Orwell chama de - "O Partido" - o  qual tem controle absoluto sobre cada ação e cada pensamento do povo que governa.

Isto é conseguido através do uso da propaganda do Partido, intimidação, segredo, vigilância constante, e engenharia social.


Com o advento da tecnologia de satélites preparados para a coleta de dados, a Agência de Segurança Nacional (NSA), em um monumento à espionagem eletrônica que espiona nossos telefonemas e e-mails em um remoto canto do Utah, nós enfrentamos (e para aqueles que estão conscientes, confrontamos) as Visões Sionistas de 1984.


Foi o senador Joseph Lieberman, um judeu talmúdico, e chefe do Comitê do Senado para a Segurança Doméstica (Homeland Security), que na inauguração da Cybercom em 2010, elogiou a NSA como "um tesouro nacional."


O que o ditador da Segurança Doméstica realmente quis dizer foi que a Agência de Segurança Nacional, sob o controle de Lieberman e seus correligionários, é "um tesouro nacional de informação" para ser usado contra aqueles que se opõem ao Governo Sionista Ocupado da América.


Ao projetar um futuro em que a verdade já não desempenha um papel no discurso político, Orwell nos leva a uma jornada aterrorizante em que as mentiras são apresentadas como verdades, e as palavras estão separadas dos seus significados usuais a fim de fazer avançar os objetivos do “Partido”.


E é exatamente isso que temos agora nos Estados Unidos onde os partidos Democrata e Republicano estão fundidos em um só – um fantasma descarnado sionista do regime totalitário do 1984.


"Era um dia claro e frio, em abril, e os relógios batiam 13 horas”, assim começa o capítulo de abertura de 1984.


Então, somos apresentados aos principais temas e motivos que perpassam toda a novela de Orwell: o Big Brother Vigia Você, o Ministério da Verdade, a Polícia do Pensamento, a Sala 101, a Novilíngüa, o Ministério da Fartura, o Duplipensar, o Ministério da Paz, e de novo, a Sala 101.


Os "Dois minutos de ódio" é um programa de televisão no qual o Partido canaliza as frustrações e emoções do povo em mostras de ódio contra os inimigos do Partido. Muitos desses inimigos foram inventados pelo Partido expressamente para este efeito.


Na campanha da Semana do Ódio, o Partido desloca suas alianças  diplomáticas; assim o inimigo com quem esteve em guerra torna-se subitamente seu aliado, e seus amigos de ontem rapidamente se tornam inimigos. Isso soa familiar?


Como o 1984 de Orwel, a América está nas garras de uma força totalitária - cujos bilhões de dólares à sua disposição controlam a Casa Branca e o Congresso, e que são donos da mídia, da imprensa, e que cuja academia suprime a verdade e propaga mentiras, e que cujo controle da Justiça se prepara para denunciar a Primeira Emenda como crimeidéia ou discurso de ódio (hate speech).


Alguns dizem que o governo SIONISTA da América não pode durar. Talvez sim.


Então é só uma questão de anos, quando a Wall Street sionista se transferir para a China. Então a Visão Sionista de 1984 se transformará no próximo episódio de 1984.


TRADUÇÃO: CHARLES LONDON


OBS.


Este Editor não acompanha o Irmão Nathanel quando ele toma sionistas como judeus ou vice-versa. Para este Editor, sionismo é uma ideologia política de poder e controle financeiro e não se identifica com o povo judeu ou sua religião. Para melhor entendimento sugiro a leitura deste artigo:


http://www.rense.com/general86/zelephant.htm

domingo, 18 de setembro de 2011

50 Razões Para Proteger os Bebês Contra as Vacinas








Por Jagannath Chatterjee

16-9-11



"Eu considero que a sentença de morte é contrária à ahimsa (o princípio do não lesar primeiro). Somente ele toma a vida que dá. Toda punição é repugnante aos princípios de ahimsa, portanto um assassino deve ser enviado para uma penitenciária e lá dadas a ele todas as chances para sua recuperação. Todo crime é uma espécie de doença e deve ser tratado como tal. " -
                                                                        Mahatma Gandhi





Esta tradução do texto original em inglês escrito pelo médico Jagannath Chaterjee não o esgota totalmente. Das 50 razões apresentadas no texto, escolhi algumas que dizem mais respeito à nossa realidade. Por outro lado, assim procedendo, sumarizo os pontos mais importantes e não repetidos. (Charles London)





1. Não há (nem nunca houve) nenhum estudo científico para determinar se as vacinas realmente impediam as doenças. Ao contrário, gráficos de doenças mostram que as vacinas foram introduzidas na fase final das epidemias, quando as doenças já estavam em seus últimos estágios. No caso particular da varíola, na verdade, a vacina causou uma grande arrancada na incidência da doença, o que obrigou as autoridades públicas a retirarem esta vacina diante do clamor público.



2. Não existem estudos de longo prazo sobre a segurança das vacinas. Muitos testes de curto prazo foram realizados com pessoas vacinadas sendo escrutinadas contra outro grupo a quem foi dada uma outra vacina. Tecnicamente os testes devem ser realizados contra um grupo de não-vacinados. Ninguém sabe realmente que protocolos foram seguidos e tomados na indústria, ou que ensaios industriais foram patrocinados.

3. Nunca houve qualquer tentativa oficial para comparar uma população vacinada contra uma população não vacinada para saber o que as vacinas estão fazendo para as crianças na sociedade. Estudos independentes privados (holandês e alemão e os KIGGS mais recentes (agosto 2011) envolvendo 7.724 crianças do mundo todo) revelaram que as crianças vacinadas sofrem muito mais do que suas contrapartes não-vacinadas.

4. As crianças recebem não uma, mas várias vacinas. Praticamente não há testes para determinar os efeitos das vacinas múltiplas.

5. Não há base científica para a vacinação de crianças. Como pelos médicos seniores citado pelo Times of India: "As crianças sofrem menos do que 2% de doenças imunopreveníveis, embora 98% das vacinas são direcionadas para eles." Os pioneiros da vacina que recomendaram muita cautela antes das vacinações nunca advogaram vacinações em massa sem que houvesse qualquer ameaça séria à vista.

6. As crianças são vacinadas simplesmente porque os pais têm medo de não vacinar seus filhos. Vacinar crianças é o negócio mais lucrativo, tanto para os fabricantes como para os médicos. Isto faz com que os fabricantes exerçam lobbies para que todas as vacinas e seus calendários sejam incluídos nas campanhas escolares. As escolas também são instigadas a exigir que seus alunos estejam "totalmente vacinados". Muito recentemente, na convocação à Política Nacional de Vacinação, o governo indiano caiu na armadilha e decidiu legitimar todas as vacinas disponíveis no mercado deixando de lado as recomendações dos médicos mais velhos e sensatos que advertiam que esta política era “irracional”.


7. A nenês, cujas mães foram advertidas pela OMS a somente alimentar os filhos até os seis meses e além pelo aleitamento materno, porque seus sistemas eram frágeis e não tolerariam nada mais, foram dadas 36 doses extremamente tóxicas de vacinas, incluindo doses de reforço, um ato que desafia qualquer lógica ou ciência.

8. O Governo da Índia saiu com um anúncio de quarto de página no O Hindu, advertindo os pais que não usassem vacinas não aprovadas pelo governo. Os pais foram aconselhados a não vacinar em clínicas particulares e hospitais.

9. O Capítulo Orissa da Associação Indiana de Pediatria, admitiu em uma carta ao CM, Orissa, que as clínicas privadas e os hospitais estão mal equipados para armazenar vacinas, e alertou os pais a não vacinar seguindo conselhos de médicos privados e de hospitais. Em uma pesquisa recente privada na Índia, 94% dos médicos pesquisados expressaram preocupações sobre a manutenção da cadeia de resfriados na Índia. 54% dos médicos já disseram que têm medo de vacinar seus próprios filhos, e 88% temem que as vacinas não sejam seguras.

10. TODOS OS INGREDIENTES das vacinas são extremamente tóxicos em natureza.

11. As vacinas contêm metais altamente tóxicos, substâncias que causam câncer, produtos químicos tóxicos, e vírus vivos e geneticamente modificados; bactérias e toxóides, soros contaminados com vírus de animais e material genético estranho, descontaminantes extremamente tóxicos e co-adjuvantes; antibióticos não-testados, nenhum dos quais pode ser injetado sem causar qualquer dano.

12. O alumínio, o mercúrio e vírus vivos podem estar por trás da enorme epidemia de autismo (1 em 110 nos EUA, 1 em 38 na Coréia do Sul, 1 em 37 no mundo todo, como registrado por um estudo privado realizado por médicos em Nova Delhi), um fato que (vacinas causam autismo) uma Corte de nos EUA admitiu. A cerca de 83 pais de casos suspeitos de autismo causado por vacinas essa Corte garantiu uma indenização a título de compensação.

13. O CDC dos EUA, o cão de guarda de vacinas, admitiu publicamente que um seu estudo muitíssimo divulgado em 2003, o qual negava qualquer ligação entre vacinas e autismo, era falso. O Chefe do CDC Dra. Julie Gerberding (hoje chefe da Divisão de Vacinas da Merck) confessou à mídia (CNN) que as vacinas podem causar "sintomas semelhantes ao autismo". A epidemia de autismo é encontrada em todos os países que permitem vacinação em massa.

14. No ano de 1999, o Governo dos EUA instruiu os fabricantes de vacinas dos EUA a retirar o mercúrio das vacinas "com efeito imediato". Mas o mercúrio continua a ser uma parte de muitas vacinas. As vacinas com mercúrio nunca foram recolhidas e foram dadas a crianças até o ano de 2006. Vacinas "livres de mercúrio" contêm 0.05mcg para 0.1mcg de mercúrio, e ainda representam um perigo para a criança, considerando que o mercúrio tende a se acumular no organismo e que existem hoje muitas fontes de exposição ao mercúrio. Como assinalado em estudo feito pela Academia Americana de Pediatras: "o mercúrio em todas as suas formas é tóxico para o feto e crianças, e devem ser feitos esforços para reduzir a exposição na medida do possível para as mulheres grávidas e crianças, bem como a população em geral."


15. Na Índia nenhuma tentativa foi feita para garantir que metais como o mercúrio e outros fossem removidos das vacinas porque isso as tornariam mais caras.


17. O mercúrio usado em vacinas é o segundo em toxicidade, perdendo apenas para o urânio radioativo. O mercúrio é 1000 vezes mais tóxico que o chumbo. É uma neurotoxina que pode danificar todo o sistema nervoso do bebê. De acordo com um estudo realizado pela Dr. Teresa Binstock, et alli, mais de 200 sintomas do autismo casam perfeitamente com os sintomas de envenenamento por mercúrio. Este estudo criou um furor no establishment político dos EUA; congressistas irritados exigiram a proibição do mercúrio em vacinas. O governo dos EUA respondeu, recomendando que o mercúrio não deveria ser usado em vacinas. A indústria fez reduzir a quantidade de mercúrio em alguns frascos de vacina de uso único, mas certas vacinas nos EUA continuam a ter mercúrio em grandes quantidades. Apesar da pressão montada por grupos de defesa os fabricantes de vacinas têm se recusado a fazer vacinas disponíveis para o mundo em desenvolvimento. O laboratório Eli Lily, fabricante do controverso Thimerosal, composto que contém 46% de mercúrio, tem considerável influência nos círculos políticos e muitos proeminentes políticos internacionais têm ações da empresa.

18. Mercúrio se acumula na gordura. O cérebro, sendo feito principalmente de células de gordura, acumula a maior parte do mercúrio, o que contribui para os peculiares sintomas das crianças autistas. Curiosamente, o mercúrio etílico que é usado em vacinas pode atravessar a barreira hematoencefálica e tem uma maior tendência a se acumular no cérebro. Também tem a tendência de permanecer lá por um longo tempo, em muitos casos, de forma permanente. Esta presença é devastadora para ambos os neurônios e as células do cérebro.


19. O mercúrio usado em vacinas é etilmercúrio. De acordo com os médicos indianos esta é uma toxina industrial que é 1000 vezes mais tóxica do que o metil-mercúrio usual. O etilmercúrio é absorvido pelo organismo mais rapidamente do que metilmercúrio, e converte-se em mercúrio inorgânico, tendendo a tornar-se um elemento permanente no cérebro.

20. O alumínio presente em vacinas faz com que o mercúrio, sob qualquer forma, seja 100 vezes mais tóxico através de um processo chamado de toxicidade sinérgica. Alumínio é usado em doses muito grandes em vacinas, ostensivamente, para causar uma reação imunológica. De acordo com um estudo muito recente isso faz com que células “desistam de seu DNA".


21. Através de um estudo independente o alumínio e o formaldeído presentes nas vacinas podem aumentar a toxicidade do mercúrio, sob qualquer forma, por 1000 vezes.

22. Por um artigo de Tehelka sobre autismo, se se considerar o limite estabelecido pela OMS do mercúrio na água, as crianças estão recebendo 50 mil vezes o limite. Os limites estabelecidos, aliás, são para adultos e não para crianças.

23. O autismo na Índia emergiu como a epidemia que cresce mais rapidamente entre as crianças, mais do que o crescimento do diabetes infantil, a AIDS, e o câncer combinados. Conforme um estudo feito por médicos particulares em Nova Delhi, o aumento subiu de 1 em 500 para 1 em 37 hoje. Como um estudo por médicos indianos, "você pode ir para qualquer classe, de qualquer escola hoje e encontrar uma criança autista." Sonia Gandhi, a presidente da Sociedade de Autismo da Índia, em 25 de julho de 2011 declarou em uma Conferência Internacional de Autismo em Dhaka, Bangladesh, que 8 milhões de crianças na Índia sofrem com esse debilitante distúrbio do espectro autista, cujo crescimento tem confundido cientistas da área médica.

24. O autismo é uma incapacidade permanente que afeta a criança fisicamente, mentalmente e emocionalmente. Faz a criança perder contato social. Ele impede tanto o crescimento físico e mental da criança. Ele destrói o cérebro causando graves perdas de memória e problemas de atenção. Ele também destrói o sistema imunológico e causa danos muito graves nos intestinos. A maioria dos sintomas apresentados por crianças autistas coincidem com os sintomas do ataque dos vírus vacinais e envenenamento por metais pesados.

25. De acordo com o pesquisador de vacinas, Dr. Harris Coulter, vacinas causam perversões e atitudes criminosas em crianças, que podem ser comparadas à encefalopatia espongiforme bovina (doença do cérebro) causada pelas toxinas das vacinas. A maioria dos tiroteios em escolas feitos por crianças nos EUA têm sido cometida por crianças autistas. Vacinas pode causar mais danos do que a comunidade médica privada pode reconhecer.


26. Crianças autistas também sofrem de distúrbios intestinais graves. Conforme o Dr. Andrew Wakefield, um gastroenterologista famoso do Reino Unido, isto se deve à presença de uma cepa de vírus vivos na vacina MMR (cachumba, sarampo, e rubéola) encontrada nos intestinos de crianças autistas. O Dr. Wakefield descobriu cepas de vírus nos intestinos, no sangue, tecidos e no liquor (Líquido Cérebro-Espinal). Muitas crianças se tornam autistas após tomar apenas uma dose da vacina MMR, conforme relatado pelos pais e por médicos que tratam as crianças. Este achado foi confirmado por muitos outros estudos publicados desde então (o Dr. Timothy Buie, Dr. VK Singh, Kawashima et alli, o Dr. James Walker Smith et alli). No entanto, em um movimento politicamente motivado, o Dr. Wakefield foi retirado da pesquisa acima e foi desonrado pelo Governo britânico, que havia introduzido a vacina MMR. A sua licença para a prática no Reino Unido foi cancelada e seu estudo de caso retirado do Lancet. Ele agora pratica na The Thoghtful House nos EUA onde ele trata as crianças autistas. Conforme um estudo recente, a vacina MMR tem um efeito adverso sobre o sistema imunológico das mucosas. A própria base de tentar prevenir Caxumba e Sarampo na infância tem sido questionada no presente estudo.


27. O DPT (difteria, tétano e coqueluxe) também faz as crianças regredirem dando origem aos temores de que as bactérias/toxóides/ e vacinas de vírus vivos são uma causa importante por trás do autismo. Se três vírus vivos podem causar tanto mal, podemos imaginar o que hoje as vacinas pentavalentes, septavalentes e decavalentes podem fazer nas nossas crianças.


28. Antes da epidemia de autismo, já era bem conhecido que as vacinas têm causado epidemias de câncer na sociedade de hoje. Tanto a vacina contra a varíola e a poliomielite oral são feitas do soro de macacos. Este soro tem ajudado muitos vírus de macaco a entrar na corrente sanguínea humana. Destes, o único vírus pesquisado, o SV 40, foi demonstrado como cancerígeno. Em recentes revelações estes vírus continuam a estar nas vacinas. A presença de SV 40 em vários cânceres humanos tem sido demonstrada. Hoje se sabe que o vírus está sendo transmitido às gerações futuras por sua presença no leite da mãe e nos espermatozóides humanos.


30. Não só AIDS, um câncer do sangue em crianças (leucemia linfoblástica aguda), que está afetando as crianças aos milhares, também pode ser principalmente devido à natureza extremamente tóxica dos ingredientes da vacina injetada diretamente na corrente sanguínea. Esta preocupação foi expressa ao autor por um oncologista de renome de um hospital em Mumbai que trata de crianças com o transtorno.


31. A Icterícia infantil e também o diabetes infantil também estão cientificamente ligados às vacinas tóxicas.


32. Os vírus da pólio vivos utilizados na Vacina Oral contra Pólio têm causado Poliomielite Paralítica Vacinal (500 a 600 casos por ano na Índia, em uma investigação médica), e Paralisia Flácida Aguda (sintomas indistinguíveis de poliomielite) em mais de 125.000 crianças (até o ano de 2006) como registrado por médicos da Associação Indiana e a Jana Swasthya Abhiyan. A OPV também liberou uma nova cepa de pólio na Índia e na África. A OPV foi descontinuado nos EUA e países europeus.


33. As vacinas contêm não só soro de chimpanzés, mas também de macacos, de vacas, porcos, galinhas, ovos, cavalos e até mesmo tecidos humanos (linhagens celulares) extraídos de fetos abortados.

34. Mortes e invalidez permanente causados por vacinas são comuns e conhecidos pela comunidade médica. Eles são instruídos pelo Governo para manter a calma e não associar tais casos com vacinas, conforme divulgado pelos médicos do IMA, enquanto desdobramento do escândalo OPV. O público passa a tomar conhecimento apenas quando os casos são destaque pela mídia.

35. Muitos médicos argumentam que as doenças durante a infância  derivam do corpo exercitar o seu sistema imunológico. Suprimir essas doenças faz com que o sistema imunológico permaneça subdesenvolvido provocando os diversos transtornos auto-imunes em adultos, como o diabetes e artrite, que se tornaram epidemias hoje.


36. As vacinas suprimem a imunidade natural e o corpo deixa de ter anticorpos naturais. O leite da mãe, portanto, não contém anticorpos naturais e não pode mais proteger a criança contra doenças.

37. Por estimular a imunidade humoral (relacionada ao sangue) somente as vacinas causaram um desequilíbrio no conjunto imunológico (referido como o desequilíbrio TH1-TH2 e uma mudança resultante para TH2), levando a um aumento alarmante das doenças auto-imunes. Isto é reconhecido pelos próprios imunologistas.


38. Nos EUA os efeitos adversos das vacinas são registrados e o Governo oferece compensação de milhões de dólares às vítimas (o caso mais recente em uma Corte pode ter recebido até US$ 200 milhões em danos). Os tribunais nos EUA pagaram quase US$ 2 bilhões em danos até agora. O Governo indiano simplesmente se recusa a reconhecer que as vacinas podem causar mortes e invalidez permanente, e muito menos compensar, tratar e reabilitar as vítimas infelizes.

39. Foi cientificamente comprovado que as vacinas não podem prevenir doenças. As vacinas tentam criar imunidade humoral (imunidade relacionada ao sangue), enquanto que se verificou que a imunidade é desenvolvida em vários níveis, humoral, celular e de órgãos específicos. Nós ainda não sabemos o suficiente sobre o sistema imunológico humano e, portanto, não se deveria interferir nele.

40. Os pais nos EUA são informados dos efeitos pós-vacinais e seu consentimento tem que ser dado antes de vacinarem seus filhos. Os pais nos EUA também pode optar por sair do processo de vacinação através da apresentação de vários formulários de isenção. Na Índia o Governo garante a população, através de campanhas de publicidade maciças, que as vacinas são extremamente seguras. Os pais que se recusam a vacinar seus filhos são ameaçados pela administração.

41. NÃO HÁ UM SISTEMA DE TRATAMENTO PARA UMA CRIANÇA LESIONADA POR UMA VACINA. Os pais têm que correr de um hospital para outro. O Governo faz vista grossa e se recusa a sequer reconhece a conexão vacina-doença. Tentativas por médicos altamente qualificados em todo o mundo para tratar crianças autistas através de intervenções biomédicas, como fornecimento de nutrientes essenciais, a correção da dieta, terapia com oxigênio hiperbárico, e quelação de metais pesados e toxinas do corpo, etc, têm sido desaprovadas e desestimuladas. Os médicos têm sido perseguidos até mesmo por tratar crianças autistas, principalmente porque esses médicos tendem a achar que as vacinas causaram o dano e levantaram suas vozes contra eles.

42. Médicos antigos da Índia e cientistas médicos têm desafiado até mesmo as vacinas recomendadas pelo Governo da Índia. Segundo o Dr. PM Bhargava, a vacina BCG contra a tuberculose tem sido testada extensivamente na Índia desde 1961 e descobriu-se que era totalmente ineficaz (de fato, a tuberculose no grupo vacinado foi até maior do que no grupo não vacinado de controle!). A OPV está causando a pólio em dezenas de milhares de crianças indianas. A vacina Hep-B introduzida na UPI recentemente não é para crianças mesmo, é uma vacina para uma doença sexualmente transmissível, a qual deve ser direcionada apenas a adultos promíscuos. A vacina contra o tétano contém alumínio e mercúrio, além do toxóide tetânico. Os próprios médicos não dão a DPT a seus filhos e parentes como demonstrado por uma pesquisa entre os profissionais de cuidados de saúde dos EUA. A vacina contra o sarampo é aquela que causa regularmente efeitos. Há dados que mostram que as mortes por vacinas são maiores no caso da vacina contra o sarampo. Dr. Ajay Gambhir, um membro de alto escalão do IAP, também apóia uma extensa triagem de crianças antes de administrar qualquer vacina. Segundo ele, a crianças que sofrem de alguma doença, com algum histórico familiar de doenças auto-imunes, com alguma reação passada de vacinas, não devem ser administradas vacinas. Segundo ele, os pais das crianças precisam ser informados de que eles têm a opção de não vacinar.

43. Os pediatras estão a introduzir dúvidas sobre vacinas na Índia que estão sendo rejeitadas pelos médicos, políticos e o público em países americanos e europeus. A vacina contra o rotavírus, a vacina Hib, a vacina contra o HPV (envolvido em um esquema fraudulento na Índia), a vacina pentavalente e as várias vacinas de vírus múltiplos sendo introduzidas sem qualquer tipo de teste e sem qualquer necessidade, assim são apenas porque os fabricantes de vacinas e os médicos querem administrá-los para lhes garantir um bom rendimento. Eles se preocupam com os alaridos sobre ética médica e o destino das crianças que receberão essas vacinas. Vacinas contendo partículas nanovirais e vacinas também à base de plantas ou de outra forma geneticamente modificada, estão sendo contestadas por médicos independentes em todo o mundo.


44. Vários estudos independentes, nomeadamente os holandeses e alemães em estudo mais recente, (também o estudo KIGGS recente envolvendo 7.724 crianças) comparando vacinados com crianças não vacinadas descobriu que crianças vacinadas são mais propensas a dermatites, asma, alergias, demora no desenvolvimento, transtornos de déficit de atenção, hiperatividade, etc. De acordo com o estudo alemão a taxa de mortalidade entre as crianças vacinadas é muito maior do que entre as não vacinadas.


45. A vacinação, sendo um programa médico de massa, e que é aceito sem questionamentos, torna-se a plataforma perfeita de lançamento para o bioterrorismo. Os países poderosos podem espalhar epidemias letais apenas poluindo as vacinas com agentes de guerra biológica. Os EUA entregaram a pesquisa de vacinas para uma unidade de pesquisa de bioterrorismo chamado BARDA que funciona sob supervisão do Pentágono.


46. Além da "investigação" fazendo o mesmo com o vírus da varíola, foi relatado que um "desenvolvimento" de vacinas contra a gripe das aves já foi concebido pelo Pentágono para ser usado como um agente de guerra biológica.


47. As vacinas também têm sido utilizados para garantir o controle da população. Um lote da vacina contra o tétano foi utilizado em muitos países asiáticos para tornar a população feminina estéril. Isso foi feito através da introdução de um hormônio que induz anticorpos a abortarem o feto quando é formado.


48. O mercúrio, uma parte das vacinas, é conhecido por interferir com o sistema endócrino e induzir a esterilidade em homens e mulheres. O polissorbato 80, outro ingrediente de vacinas, e também o esqualeno, são conhecidos por causar esterilidade.


49. Através de uma nova lei de saúde pública que está sendo elaborada, o governo da Índia está planejando introduzir a vacinação forçada, ameaçando os ativistas anti-vacinas com multas exorbitantes e penas de prisão. Isto se faz às instâncias dos gigantes estrangeiros das vacinas (leia-se EUA) que estão mudando sua base para a Índia porque nos países europeus e EUA há uma oposição tremenda a vacinas. O Governo da Índia está planejando um "parque de vacinas" em Chennai, onde essas multinacionais das vacinas criarão a nova base. Isso por si só é um ato de bioterrorismo que, ironicamente, o projeto de lei proposto procura se opor.


50. Conforme o Instituto de Medicina, EUA, as pesquisas das vacinas que comprovem a ligação entre vacinas e autismo não devem ser conduzidas. O Instituto de Medicina, em seu último relatório sobre vacinas e autismo, em 2004, disse que mais pesquisas sobre a questão da vacina seriam contraproducentes: “Encontrar uma suscetibilidade a esse risco em algumas crianças colocaria em causa a estratégia de vacinação universal que é a base dos programas de imunização, o que poderia levar à rejeição generalizada de vacinas”. O IOM concluiu que os esforços para encontrar uma ligação entre vacinas e autismo "deve ser equilibrado com o maior benefício do programa vacinal atual para todas as crianças". No entanto, estudos inerentemente tendenciosos que tentam refutar uma ligação entre vacinas e autismo têm sido autorizados e financiados pelo CDC. O Coordenador principal de muitos desses estudos (referido como Os Estudos Dinamarqueses), Dr Paul Thorsen, foi recentemente visto na mídia por lavagem de dinheiro e apropriação indébita de forma fraudulenta de uma substancial parte dos fundos de pesquisa canalizadas para estes estudos, o que pôs em causa a veracidade da conclusão alcançada nestes estudos. O estudo feito pelo médico do CDC, Dr. Thomas Verstraeten, tiveram os dados manipulados, como revelado por ativistas RTI. No início de seu estudo, o autor principal, Dr. Thomas Verstraeten, encontrou associação estatisticamente significativa entre a quantidade de mercúrio (timerosal) em crianças vacinadas desde a infância, e uma ampla gama de distúrbios cerebrais. No entanto, a versão publicada do estudo (o que os autores dizem que é preciso) não encontraram nenhuma evidência de uma ligação ao autismo. Não foi divulgado, entretanto, que o Dr. Verstraeten tinha deixado o CDC durante o estudo e foi trabalhar para a Glaxo, fabricante da vacina. A quê isso tudo leva? Que as crianças devem ser sacrificadas a fim de se perpetuar um procedimento não-científico?



Ref: 2011/09/14

Centro Regional de Cooperação para o Desenvolvimento

A Instituição não-lucrativa

Floor, A/68 Primeiro, Sahidnagar

Bhubaneswar - 751007

Orissa, na Índia.

Telefone: 0674-2545250

http://www.facebook.com/jagannath.chatterjee

http://www.facebook.com/pages/Information-on-Vaccine-Risks/211069518950053
------------------------------

Tradução: Charles London

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

O HOAX AL QAIDA e o HOAX do 11 de SETEMBRO







O cenário mundial hoje é a única coisa a me interessar. De tudo mais sinto um grande cansaço, um grande enfaro. Das coisas brasileiras então... o mundo cada vez mais inabitável e ainda tem gente se preocupando com a pestilência petista.



O mês de setembro, e este em especial que lembra o décimo aniversário do 11 de setembro de 2001, com os atentados às Torres gêmeas, ao Pentágono, e outras fantasias bushianas, me obrigam a retornar ao tema. Meus leitores já viram que em outros posts me ocupo com freqüência desse tema – como disse, o resto me desagrada, me cansa, me rouba verve e verba. O verbo à mão reservo para coisas em aberto, coisas que não estão decididas. O Brasil está decidido, a América Latina do Foro de São Paulo está decidida. O mundo do onze de setembro não está nada decidido. Lá ainda se mexe nas cinzas que estão quentes. Sempre foram quentes e estavam quentes antes ainda dos atentados. As coisas por lá se esquentavam. Nós é que não sabíamos; só soubemos depois quando do estrondo. Só soubemos depois que aquilo era um falso ataque, uma false flag.



O motivo dos atentados está ligado ao desejo da Nova Ordem Mundial de dominar o mundo, incluindo aqui o Oriente e seu petróleo, seus recursos aqüíferos, suas áreas de descarte de lixo atômico, suas praias boas para se fazer portos de guerra; e, além disso, construir mais rapidamente o Estado Global Policial. A Al Qaida, como dizem os americanos que a inventaram, é um factóide da propaganda militarista e hegemonista. O motivo da queda das Torres (ou sua derrubada controlada) teria sido a Al Qaida e seu network de terroristas profissionais. Porém, não da maneira convencional com que o mundo sabe disso. Hoje, quando os trouxas choram de verdade nos monumentos construídos no lugar das Torres, no monumento no Pentágono; quando milhões ainda choram de ver o Bush e o Obama chorando juntos lágrimas reptilianas, ainda não se sabe no atacado que aquilo foi um falso ataque. A mídia internacional não deixa. A mídia brasileira não deixa; a Globo em especial, chega a pronunciar a expressão Al Qaida três vezes em cada Jornal Nacional. E tudo dito com caras muito brabas, indignadas... Puxa-sacos!



Pois bem, a Al Qaida acaba de se transformar em aliada política dos Estados Unidos e da Inglaterra que comandam a OTAN, a coalizão armada da Nova Ordem Mundial (NOM). Desde janeiro deste ano com a desestabilização do regime político egípcio um novo poder cresce nas margens do Nilo à sombra da NOM. No dia 9 de setembro deste ano a embaixada de Israel no Cairo foi atacada por islâmicos e suas correntes violentas ligadas à Al Qaida. Assim diz a mídia; assim diz o jornal militar de Israel – o DebkaFile, fonte sionista insuspeita.


Peraí, um momentinho: os Estados Unidos então não são mais inimigos mortais daqueles que ontem teriam destruído as Torres? A Al Qaida celebrou algum tratado de paz com os Estados Unidos ou está na folha de pagamento da CIA de novo, como nos velhos tempos do Saddan Hussein? O governo fantoche que “expulsou” Hosny Mubarak do poder no Egito, dominado por grupos islâmicos anti-Israel e anti-Estados Unidos não foram colocados no poder virtual do país pelos próprios Estados Unidos? Não foi a Hillary Clinton que histérica gritava para Mubarak sair fora, o mesmo que faz agora contra Kaddafi?



Que contradição! Que traição! Ou não há contradição e traição coisíssima nenhuma e tudo faz parte dos planos maquiavélicos da NOM que quer ver o mundo pegar fogo por uma mecha de óleo árabe. Então os Estados Unidos não sabiam que estavam deixando se instalar no Egito um poder terrorista islâmico, até criador do ramo egípcio da Al Qaida? Lembrem que os americanos já tinham catalogado a Al Qaida como o maior inimigo do povo americano e contra qual valia e vale a pena a Guerra contra o Terror. Não repetiram exatamente isso ontem mesmo, no décimo aniversário (11/09/2011) do massacre? E agora, como explicar aos telespectadores com olhos ainda úmidos a agitação islâmica da Jama’l El Islamiah, ramo da Al Qaida?


Como explicar isso a quem ousar fazer a pergunta: a Al Qaida que mata soldados americanos e ingleses no Oriente é a mesma que manda no Egito, colocada lá que foi pelos Estados Unidos e pela NOM?

Então, por favor, não me chamem mais de conspiracionista ou de negador do 11/09. Aquilo foi um falso ataque feito para perseguir um falso inimigo – a Al Qaida – com direção teatral americana. Não há contradição nenhuma; há cálculo frio e cruel, assassino – há crimes em série, genocídio em série, “holocaustos” em série.


A mesma coisa vale para Israel que novamente se torna vítima dos ataques “covardes” feitos por terroristas muçulmanos. Mas, ora, esses terroristas islâmicos são do pleno conhecimento e contam com ajuda americana (na Líbia são unha e carne), ao mesmo tempo que os sionistas mandam em Hollywood, na mídia, no Congresso Americano, na Casa Branca, nos bancos e no Banco Central, o Federal Reserve. Tudo mundo sabe que Israel escolhe quem será presidente americano, ou não será. E não precisam das armas do Mossad nem dos seus métodos, basta o controle do dinheiro mundial, da mídia, da cultura, e das perversões da sociedade americana e mundial. Mas Israel adora se passar por vítima de “holocaustos”. A propaganda sionista dentro e fora dos Estados Unidos faz isso há décadas, e com grande sucesso. E o que muita gente não sabe é que o sionismo é essa agência maligna, militar, anticristã, antijudaica. Já reparam que Israel não pertence oficialmente a OTAN; que não pertence oficialmente a nada? Você sabia que anti-semitismo vale tanto para árabes quanto para judeus, pois que ambos são semitas? Você sabia que sionismo é contra a religião judaica do Torá? Você sabia que o sionismo é inimigo cristão? Você é ainda sionista? Sionista cristão?

A Al Qaida teve um começo material. A história registra que ela era aliada americana nos tempos da guerra do Iran contra o Iraque. Os americanos estavam com Saddan Hussein. A Al Qaida assim transitou da materialidade clandestina para uma existência virtual, psicológica. No caso de Osama bin Laden, este trânsito invadiu a dimensão espiritual e fantasmagórica, pois até o cadáver de bin Laden, ou sua memória, qual um El Cid moderno, foi mantido vivo – um zumbi psicológico.

Chamam-se psi ops às operações psicológicas que usam e abusam de recursos como esses. Bin Laden foi um zumbi feito para durar até que uma nova situação estivesse estabelecida – e uma nova situação está se estabelecendo no Oriente. O zumbi Bin Laden só foi exterminado dos anais históricos (aqui não faz diferença nenhuma o fato de ele estar morto desde fins de 2001) porque a NOM está segura que sua falta não faz falta nenhuma. Por isso ele morreu de novo. Continua o factóide psi op Al Qaida no seu lugar. Como símbolo (do medo) vale a mesma coisa. E como a NOM não está mais se escondendo – conta com a grande confusão geral – um novo líder da Al Qaida está livre e solto para “assombrar” os irmãos sionistas que, alegando medo noturno de monstros, têm motivos bastantes para continuar suas guerrinhas e assim continuar no caminho da Grande Guerra, essa sim, o Armagedon.


E ainda querem que eu me dedique aos assuntos brasileiros. Deixo isso para desocupados ou para quem ganha dinheiro com informação ou desinformação.