sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

A ERA DA VERGONHA I


Neste 31 de dezembro de 2010 acaba a ERA DA VERGONHA I. Nunca antes neste país, para citar o ladrão Lula, estivemos tão mal; nunca fomos tão imorais.








O Brasil afundou na lama, na roubalheira, na imoralidade, aceitando a degradação dos costumes e das leis. Lula acaba seu triste mandato anistiando e protegendo um assassino estrangeiro pelo simples fato que ele era e é comunista, um guerrilheiro sangrento. 




comunistas festejando Battisti



Lula encerra seu mandato de vergonha com mais uma indignidade: não extraditará Cesare Battisti. Seu ex-ministro da "Justiça", Tarso Genro, foi quem arrumou a casa para o bandido - viramos hospedaria de assassinos e traficantes de drogas.


da mesma laia


Mas nada disso aconteceria se não fosse a prestimosa ajuda do antigo Supremo Tribunal Federal, hoje um órgão acovardado e aparelhado por bandidos e mensaleiros. Uma instituição que nem soube definir um ser humano, ou fingiu que não soube para legitimar o aborto. O mesmo tribunal antes tinha dado liberade e proteção a Olivério Medina, guerrilheiro e narcotraficante colombiano aliado do governo Lula.




            Perdeu a Itália, para a vergonha dos brasileiros!


Mas nada se iguala em canalhice desse triste presidente como o seu mensalão. Isso poderia encher o pais de vergonha, expondo as suas instituições apodrecidas, mas a classe política, inclusive o PSDB e o DEM, fizeram de tudo para que a bandalha continuasse. E o próprio povo esqueceu o mensalão. O povo reelegeu os mesmos ladrões.




A Justiça esqueceu o mensalão:





Barbosa, que denunciou Gilmar Mendes como chefe de capangas


Este é o nível a que descemos. Justiça, Mídia, Educação, Segurança, Relações Exteriores, para onde olhamos só vemos motivos para nos envergonharmos.

O pior é a falta de esperança. A guerrilheira e ladra de bancos sucederá o protetor de criminosos, o chefe da quadrilha do mensalão.






Começa a ERA DA VERGONHA II.


                    

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

ANTIGA MENSAGEM DIVINA



 




Com o Natal chegando nossos Corações procuram falar entre si, trocando mensagens de mútuos desejos de felicidades e de reencontros com Deus e Jesus. O Natal é também o momento de especial oportunidade para checarmos a nossa condição moral e ética, e mais do que isso: momento de consultarmos a nossa Consciência, refletindo e respondendo  sobre o comportamento do nosso Coração e nossa humilde existência diante do grande Mistério.


Quem de nós poderá confessar-se um impecante, um ser sem mácula, sem erro, belo ao extremo, um Deus de perfeição? Acho que nenhum de nós. Quem poderia dizer-se ser esse inocente, respondendo ao Juiz Supremo:




Eu não matei nem ofereci ninguém à morte.



Eu não cometi adultério ou estupro.



Eu não me vinguei nem queimei com raiva.



Eu não causei terror.



Eu não assaltei ninguém nem causei dor.



Eu não causei sofrimento.



Eu não causei dano ao homem e aos animais.



Eu não provoquei derramamento de lágrimas.



Eu não induzi ao erro as pessoas nem apoiei qualquer má intenção.



Eu não roubei nem tomei o que não me pertencia.



Eu não danifiquei as lavouras, os campos, ou as árvores.



Eu não privei ninguém do que é seu direito.



Eu não prestei falso testemunho nem apoiei falsas alegações.

Eu não menti nem falei falsamente para ferir alguém.



Eu não usei palavras fortes nem estimulei qualquer disputa.



Eu não proferi escárnios contra os outros.



Eu não procurei escutar segredos.



Eu não ignorei a verdade ou palavras de retidão.



Eu não julguei ninguém apressadamente ou ruidosamente.



Eu não desrespeitei os lugares sagrados.



Eu não provoquei mal aos trabalhadores e prisioneiros.



Eu não me enfureci sem uma boa razão.



Eu não obstrui o fluxo da água corrente.



Eu não desperdicei água corrente.



Eu não polui a água ou a terra.



Eu não tomei o nome do Deus em vão.



Eu não fiz ofertas demais nem de menos do que devia.



Eu não cobicei os bens do meu vizinho.



Eu não roubei nem desrespeitei os mortos.



Eu lembrei e observei os dias santos.



Eu não interferi nos ritos sagrados.



Eu não sacrifiquei com más intenções os animais sagrados.



Eu não agi com ardis ou insolência.



Eu não fui indevidamente orgulhoso nem agi com intolerância.



Eu não aumentei minha condição além do que era apropriado.



Eu não fiz menos do que a minha obrigação requeria.



Eu obedeci à Lei e não cometi traição.




 
Quem de nós diria com Alma leve ou Coração justo tudo isso? Não são esses Princípios algo que nós já aceitamos como um modelo moral e ético perfeito? Um guia de conduta infalível? Um Imperativo Categórico perfeito? Alguém aí é contra algum desses Princípios, reconhecidamente em falta nesse nosso mundo moderno, e particularmente nesse momento histórico atual tão hostil para com o judaísmo e o cristianismo? Quem não diria amém a esses princípios? Quem deixaria de ver neles os ideais de Justiça que trazemos em nossos Corações?





Esses Princípios sapienciais deveriam representar para nós a razão maior e última de nossa denúncia. Passamos, e eu em particular, a última década denunciando a destruição dos valores da "nossa" civilização. Em todo este tempo afirmamos inúmeras e exaustivas vezes que o modelo moral judaico-cristão estava sendo destruído pela Nova Ordem Mundial.

Muitos ou quase todos esses valores, entretanto, são encontrados nos Princípios acima, no capítulo 125 do Livro dos Mortos, como se lê no Papiro de Ani, escrito mil e trezentos anos antes de Moisés e os Dez Mandamentos recebidos de Deus. Eles são indiscutivelmente iguais em peso moral e ético aos mandamentos da Lei de Deus. Apenas os superam em número, mas ainda são os mesmos.










Há nestes princípios milenares uma régua que é a Pena da Justiça que a deusa Ma'at, consorte de Thot, traz na cabeça. É sobre o Coração humano, onde ecoa e se manifesta a luta íntima da Consciência individual, que a régua da Justiça se aplica.




Essa régua é composta de conceitos abstratos de Justiça, Verdade, Ordem, Harmonia e Beleza, por onde se mede o valor do conteúdo do Coração humano. Diante do Tribunal Final a alma do indivíduo morto que pretende viver eternamente (como um Buda depois de sua própria morte) deposita seu Coração em um dos pratos da Balança de Ma'at. Se o Coração pesar mais ou menos do que a Pena da Justiça (Ma’at) colocada no outro prato, o Devorador de Almas devorará a alma do infeliz morto-vivo, isto é, seu Espírito (ka) será rejeitado e destruído porque violou os verdadeiros Princípios de Ma’at. A este ka será negada a vida eterna.






 


                    Papiro de Ani. Cena da pesagem do Coração.





O significado essencial desse simbolismo é a luta final do homem, vivo ou morto, em defesa de sua própria Consciência. Se a esta for concedida em sua vida a Luz, ela triunfará, a Ordem será preservada, o Caos desfeito, e o individuo receberá a graça, abandonando o Duat (reino dos mortos) e herdando o paraíso onde viverá eternamente.



                               Osiris, Deus dos mortos e dos ressuscitados



Por três mil anos, e provavelmente muitos milênios mais, a civilização egípcia observou, muito ou pouco, estes Princípios; talvez mais no seu início quando o homem estava mais próximo do seu Criador (Ptah) e ainda não se corrompera totalmente. Por outro lado, porque mais antiga e muito próxima, essa civilização emprestou aos judeus uma parte do seus Princípios. É provável que tenha sido mais do que uma parte: possivelmente foi sua precursora imediata por volta do século 14-13 AC.



 

Mas isso não é o mais importante. Quando hoje testemunhamos a perda moral e ética da sociedade humana ocidental, com a ascenção, triunfo  e uniformidade do relativismo moral que apaga memórias antigas, a nossa primeira reação é de desespero: nos sentimos impotentes para frear essa onda avassaladora que destrói o passado rico de balizas e referências pelas quais nos medimos uns aos outros. Nos amarguramos com esse estado caótico de progressiva ignorância quanto aos valores que prezamos. O mundo parece ficar cada vez mais pequeno e estranho para nós. A sensação é a de estar tudo perdido; que com a moral do judaísmo-cristianismo anulada não há Moral ou Ética que valha a pena ser defendida; que tudo que é estranho deve ser combatido em seu nome.    

Mas será que está tudo perdido, que estamos certos em nossa intolerante verdade e discricionária escolha? Será que aquilo pelo qual lutamos não seja tão essencial assim? 


Acho que estamos certos em defender aquilo que achamos essencial, embora por uma racionalização equivocada que muito tem custado à humanidade. Afinal, pelo menos nós que denunciamos a destruição da velha Moral e Ética ocidental temos um Coração leve para apresentar; nem mais pesado nem mais leve do que a Pena de Ma'at.


Ah, como me tornei um descrente das religiões "ocidentais" que ignoram magnanimamente que o mundo já era sábio e tinha a régua da Moral e da Ética humana antes de Israel! Digo mais, como as religiões "ocidentais" puderam e podem ignorar a origem dos seus próprios mandamentos! Estou convicto que este "esquecimento" é a causa de tanto sofrimento.

É meu desejo neste Natal que os Princípios de Ma'at estejam em nossos Corações. Que a soberba fundamentalista e a arrogância da Mente ceda aos nossos Corações. É meu desejo que, se Jesus representa melhor estes Princípios, que Ele seja louvado e por Ele sejamos conduzidos.


terça-feira, 14 de dezembro de 2010

TUDO AZUL

De repente me apaixonei pela música africana. Ouçam.






OS HERÓIS DO MAZEMBE:







KIDIABA



NKULUKUTA


KIMWAKI


MIHAYO


KASUSULA


BEDI


KASONGO


EKANGA


KANDA


AKLUYITUKA


SINGULUMA


SÓ CRAQUE!
 


OBRIGADO CONGO PELO NATAL AZUL!
 


 
 
 

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

HOMOSSEXUALIZAÇÃO DA JUVENTUDE


Progride a campanha para a destruição da família pelo abalo sem volta dos papéis sexuais normais. A campanha da homofobia, obscessão desse governo e do próximo, agora chega as escolas de forma oficial.


Vejam o video do Dep. Jair Bolsonaro, uma das poucas pessoas dignas do parlamento brasileiro com coragem de denunciar publicamente a campanha de destruição da família promovida pelo governo petista.







A idéia dessa gente é banalizar o homossexualismo até o ponto dele se transformar no normal, criminalizando o heterossexualismo. Um desejo sexual, uma obscessão sexual de uma minoria de 2%, se tanto, poderá prevalecer sobre uma maioria de 98%.





Para isso servem as campanhas da Rede Globo de promoção do homossexualismo disfarçado em Direitos Humanos. Desconfiem de toda reportagem da TV que mostra "gays" sendo atacados por "homofóbicos", querendo com isso arranjar o pretexto para a aprovação mais rápida possível de uma Lei (projeto 122), cuja finalidade última é a de sabotar a ordem jurídica estabelecida em um primeiro momento, para logo depois tentar instaurar uma ditadura fascista-comunista.  




domingo, 5 de dezembro de 2010

VIDA "EXÓTICA"



Alguém já ouviu falar em junk DNA? Aqueles 93% de material  inútil, incapaz de sintetizar proteínas, e por isso descartado como lixo? Pois saibam que esses 93% são o tamanho exato da nossa ignorância sobre o que seja vida, evolução, criação, ou ciência biológica. Somos 93% lixo, portanto. Bricadeirinha!

Mas a ciência mainstream vem tendo a mesma desatenção dos pensadores ao não perceber que elementos de informação podem ser carreados, scanizados, e salvos em uma matriz biológica universal: um mesmo tipo de código (DNA) para todas as formas vivas do universo. E mais, desconhecem que as diferentes linguagens e linhagens carreadas e reproduzidas nesses 93% de material altamente sutil, às vezes imponderável, às vezes pluridimensional, não têm pressa alguma em percorrer o Universo nas mais variadas formas. A linguagem-linhagem viva vem sendo assim desde sempre segundo qualquer teoria criacionista do Universo ou de Big Bang. A comunicação e sua criptografia, a impressão sensitiva, a interação das "diversas"  linguagens, às vezes denotando forte componente emocional, mesmo à distância, caracterizam os grupos biologicamente inteligentes em um nivel que deveria nos enobrecer ou envergonhar. Essa parte mais nobre do DNA representa a ponte entre corpo e alma, matéria e espírito, o elo comum que nos une a todos os seres que merecem ser chamados de vivos.


No entanto,  o mainstream prefere maya; rejeita qualquer desvio do padrão, da matrix. Conta para isso com a preguiça mental e a indigência intelectual da humanidade. E o faz por pura comodidade e cálculo pseudocientífico, pseudoespiritual, e pseudohumanista. Mas muitos se dão conta dessa nossa condição singular: a vida que conduzimos por nosso duplo veículo é energia e conhecimento; ela tem um padrão quântico e apresenta comportamento de onda eletromagnética. É capaz até de apresentar o fenômeno da não-localidade. Isso tem desdobramentos óbvios.


Abaixo está a foto da mais nova vedete da biologia.






"A proteobactéria GFAJ-1, da família Halomonadaceae, parece substituir o fosfato por arsênio, levantando a possibilidade de formas de vida totalmente diferentes das atualmente conhecidas".

O cenário planetóide da foto abaixo insinua a existência e proveniência dessas formas bizarras, nossos irmãozinhos cósmicos venenosos.


O Lago Mono, lugar onde foi encontrada a bactéria exótica


Há 12 anos escrevia sobre esse assunto. Já na época estava convencido que a Teoria da Panspermia cedo ou tarde se consagraria. Svent Arrhenius, aquele mesmo de triste memória para os estudantes de química em pré-vestibular, criou a Teoria da Panspermia. E não ganhou o Nobel de química  de 1903 por isso.

Arrehnius
                                     

Esquecido Svent Arrehnius, a teoria declinou para ser levantada novamente pelos "descobridores" do DNA: os Profs. Watson e Cricks. Hábeis construtores moleculares de armas biológicas, souberam descobrir, e depois "descobrir" o DNA, embora parcialmente, hoje sabemos. A estrutura que sintetizava nossas proteínas, codificava nossos gens, nossa história, provava a nossa especificidade, e esse mecanismo era universal. E era tudo o que sabíamos ou devíamos saber. 

Francis Crick

Mas o maior entusiasta da panspermia foi o físico, astrônomo, matemático e biólogo inglês, Fred Hoyle. Juntamente associado com o prof. paquistanês (ainda vivo), Chandra Wickramasingue, Hoyle refutou de forma elegante e definitiva a teoria da seleção natural e a aleatoriedade da criação. Hoyle é o verdadeiro pai da Teoria do Universo Inteligente, nome do seu maior livro. Cometas, meteoros, e por extensão, qualquer corpo que caia na Terra, pode trazer material vivo. Isso foi provado há mais de década e meia.



Mas a consagração da panspermia viria aos poucos, como sempre acontece nas ciências. Em doses homeopáticas. Mas a culpa disso são os próprios cientistas, em especial os astrônomos. Gosto de dizer que eles, por exemplo, só perdem para os políticos na categoria da classe mais mentirosa. E isso é verdade porque eles mentem politicamente para agradar os poderosos da Nova Ordem Mundial que os sustentam, que não querem que notícias ameaçadoras à velha ordem sejam veiculadas para o vulgo.
Hoyle e Chandra são exceções.

Que  contradição! O vulgo nada dever saber de imediato. O conhecimento verdadeiramente importante é escasso e oculto. Sempre foi assim. A água existe em toda a parte do sistema solar e os astrônomos vão nos dando a notícia em colherinhas. No mínimo um gap de décadas entre a descoberta e a "descoberta" pública se faz  necessário à Nova Ordem Mundial para que ela mantenha uma dianteira confortável para o controle efetivo da massa, assim se garantindo no  poder de manobrar a inteligência que ela é capaz de impor e cobrar.

A vida é um fenômeno universal de energia e conhecimento. A sua forma de expressão, além disso, revela um caráter de interação entre espécies, algo que se dá no tempo cósmico. Somos transmissores/receptores desse elo infinito.

Quanto à biologia envolvida na questão da "descoberta" em pauta, é  central à concepção atual do mecanismo da vida a forma energética dela acontecer. E o nosso modelo de entendimento afirmava que o fósforo (P), ou fosfato (PO4), era o único "motor" do processo biológico-energético de conversão e produção da energia celular habilidosamente escondida nas ligações químicas. O bioquímicos chamam de ATP (adenosina trifosfato), a molécula que produz essa energia.


o nucleotídeo ATP


Uma molécula de glicose, por exemplo, é capaz de produzir 32 moléculas de ATPs riquíssimas de energia, na usina energética a que chamamos mitocôndria. Uma teoria do DNA mitocondrial é usada para reconhecer a linhagem feminina ancestral  inscrita no material do DNA nas espécies, inclusive a humana. Somos uma espécie sapiens há 280 mil anos. A primeira Eva tem essa idade.

Entretanto, a importância maior disso está em se perceber que o locus celular onde se dá o encontro da energia e da codificação de informação é o mesmo.




Na mitocôndria acontece o fenônemo motor da vida de uma maneira muito especial. Ela guarda um back up de nós todos encriptado no seu próprio código de DNA mitocondrial. Ali se reproduz ontologicamente toda a informação e capacidade  energética de cada forma de vida. Ora, a vida bacteriana não faz outra coisa há eons, com seus esporos. Esporos bacterianos são a garantia da longevidade das espécies procariotas. Somos um pouco mais complexos - somos eucariotas (temos um núcleo celular verdadeiro) -, mas na base somos iguais no mecanismo de preservação do nosso genoma. Mas essa preservação é dinâmica, mutável, progressiva, adaptativa. A questão última é: como tudo começou? Mas isso não é a questão da panspermia. A resposta definitiva deixemos para os sábios que a conhecem de forma indelével.


esporo bacteriano (back up)

O que se tentou comprovar recentemente é que o arsênio (As) é capaz de produzir em condições especiais (e muito adversas como o meio espacial é) alguns eletrovolts suficientes  para dar partida e manter a produção de energia celular nos procariontes, no lugar do velho fósforo e seus sais. A questão é ainda, como venho enfatizando, energética. As formas de energia biológica são as próprias formas vivas universais particularizadas. O DNA é o script universal para tal. Prova está que os gens das mais diferentes espécies são em número bem menor do que pensávamos, isto é, compartilhamos gens essenciais com várias formas de vida. Nesse sentido somos todos parentes. Abrigamos gens  que não lêem códigos de proteínas apenas. Eles fazem muito mais do que isso. Somente recentemente se "descobriu" isso. Assim o campo da exobiologia  se ampliou de maneira indisfarçável e passa atestado de estupidez e burrice quem se fixar no modelito criacionista-evolucionista tradicional.

Os paradigmas precisam ser superados e os conceitos morrerem de velhos. Então a novidade indesejada que se manifesta quase que nos ofende. A recente “descoberta” de cientistas nos Estados Unidos, que "descobriram" que uma bactéria incorporava arsênio às suas moléculas orgânicas em substituição ao fósforo, o elemento tido como essencial e central à bioquímica, me levaram a relembrar o meu velho “livro”, hoje um arquivo que sobrevive à crítica corrosiva e eletrônica do meu winchester.

Tudo de novo? Para mim tudo isso é notícia velha. Para ilustrar o que digo vejam o que se publicava na década de 90 nas manchetes - uma forma diminuta bacteriana encontrada em um meteoro caído de Marte no Polo Sul. Com isso se provava a panspermia para alguns poucos já naquela época. As provas, no entanto, aumentaram muito. Hoje são banais.


                                             
                                               meteoro Allen Hills 84001



Excerto do meu próprio livro  de 1998, uma defesa da panspermia - VIDA EXTRATERRESTRE.


(...)



As bactérias



Mas de todas as formas vivas ancestralmente e atualmente, as bactérias são as mais interessantes. Anteriormente as referi como criaturas magníficas tanto em forma como em funcionalidade. Mas eu gostaria de acrescentar uma outra característica a elas: a durabilidade. Seja qual for a maneira com que elas se desenvolveram na Terra, o que impressiona é o tempo praticamente infinito que uma bactéria pode permanecer viva ou pelo menos conservar a propriedade de viver tão-logo retornem as condições adequadas. Em 20 de novembro de 1969 o astronauta Peter Conrad ao retornar da missão da Apolo 12 disse:



“Eu sempre pensei que a coisa mais significativa que nós encontramos naquela maldita Lua era um pequena bactéria que voltou à Terra e viveu, e ninguém disse uma titica sobre isto”.



Uma bactéria, a Streptoccocus mitis, foi deixada na Lua inadvertidamente escondida dentro de uma câmera de TV a qual foi resgatada dois anos e meio depois. Esta bactéria sobreviveu 31 meses no vácuo (ausência de gás) da atmosfera lunar e sob condições de extremos de temperatura e umidade quase zero. No entanto ela sobreviveu. Outros relatos mais surpreendentes confirmam a enorme resistência das bactérias. O recorde até agora parece ser de uma bactéria que sobreviveu no intestino de uma abelha de 30 milhões anos presa dentro de um âmbar. Ela não só sobreviveu como colonizou. Há trabalhos recentes que afirmam a descoberta de um esporo bacteriano ainda viável depois de 250 milhões de anos! O segredo da longevidade bacteriana parece estar nos esporos bacterianos. Esporos são estruturas formadas internamente pelas bactérias que diante de condições ameaçadoras criam uma cópia (back-up) do RNA ou DNA. A camada externa pode ser destruída, mas o endosporo guarda fielmente sua preciosa carga genética de qualquer ameaça mais séria, como extremo calor, extremo frio, radiação e tóxicos. Quando as primeiras bactérias colonizaram a Terra, quase 4 bilhões de anos atrás, esta era para os nossos padrões um lugar bem hostil. Não havia oxigênio livre para respirar e nenhum ozônio para bloquear a danosa radiação ultravioleta do Sol. A radiação proveniente do decaimento radioativo do urânio235 era 50 vezes mais abundante do que é agora. O ar era quente e cheio de substâncias tóxicas tais como os gases sulfurosos liberados por vulcões. Não é por nada que este tempo é chamado de Era Hadeana (referência ao Hades, o inferno da mitologia grega). No entanto, as bactérias sobreviveram e até prosperaram. Sabe-se agora porquê, são os seus esporos. Endosporos podem resistir por séculos e milênios. Não é por acaso que as bactérias ainda estão por aí, praticamente inalteradas e não evoluídas, e são estas propriedades de extrema resistência que as fazem candidatas ao primeiro prêmio da vida, o prêmio da primogenitura e da originalidade. Voltaremos às bactérias mais adiante em um novo contexto.



Os vírus


E para finalizar a apresentação dos principais atores do palco da vida, é hora de vermos os vírus. Estas criaturas não são seres vivos. A rigor a palavra criatura nem se aplicaria! Vírus são partículas de tamanho muito reduzido (200 mµ) e constituem-se de capas protéicas externas e internas, capsídios e capsômeros. Eles não são seres vivos porque não se reproduzem independentemente. Pelo contrário, precisam do material genético de uma célula onde se inserem para reproduzir o seu DNA ou RNA. Os vírus ou são feitos de DNA ou de RNA. Fora da célula viva um vírus se comporta como um mineral assumindo formas cristalóides. No entanto, eles participam da nossa vida e provavelmente de todos os seres vivos deste planeta ao introduzirem parte do seu material genético no nosso genoma (o conjunto dos nossos gens). Hoje em dia, devido à pesquisa da AIDS, sabe-se muito mais sobre os vírus do que há poucas décadas. São bem conhecidas e estão mapeadas as famílias virais e seus sorotipos. As doenças em humanos por eles provocados os colocam no papel de carrascos do gênero humano. Por terem a propriedade de nos matar ou de nos deixar seriamente doentes, aliado à impossibilidade de morrer, já que não são seres vivos, os vírus são duplamente perigosos. Ultimamente eles vêm recebendo a atenção de biólogos e evolucionistas preocupados com o problema da origem da vida. Acredita-se crescentemente que os vírus cumprem um papel de transmissores genéticos importantes, assim influindo na evolução dos seres vivos. Eles teriam a capacidade de introduzir, como disse, material genético novo, e aqui está a ênfase necessária, material genético novo, ao nosso genoma por um mecanismo parecido à transferência lateral. Esta via de herança foi considerada por muito tempo como uma via secundária ou alternativa no processos de herança, mas atualmente cada vez mais se pensa nela como o mecanismo, se não o principal, um de igual força para imprimir mudanças nos nossos padrões genéticos. O resultado desta ação viral seria a de acrescentar novos gens ao pool de gens que constituem o nosso patrimônio genético. Os vírus, além disso, compartilham juntamente com as bactérias a propriedade da longevidade, e mais do que isso, a propriedade da imortalidade, pois eles não sofrem o processo biológico do envelhecimento. Trabalhos recentes sobre vírus têm demonstrado que eles agem de maneira muito direta sobre bactérias tornando-as virulentas e até, em alguns casos, mortais. Já se conhecia a influência dos vírus sobre as bactérias. Exemplo disso é o bacteriófago, um vírus que introduz o seu DNA na célula bacteriana para que esta com o seu material genético faça as proteínas dos capsídios virais. A descoberta recente e surpreendente é que alguns vírus parecem “saber” e conduzir uma bactéria para a sua ação sobre nós, como no caso recente do Vibrio colera, extraordinariamente violento e mortal. A virulência proveio de uma informação genética introduzida pelo vírus ad hoc no V. colera . Quantas mais surpresas não nos reservam os vírus? Aqui vai outra. Uma propriedade insuspeitada até pouco tempo atrás dos vírus é que eles são capazes de preencher partes em branco ( o DNA silencioso) do nosso DNA. Este silent DNA, já era conhecido, mas a novidade está em que alguns vírus podem inscrever mensagens suas no nosso DNA incorporando-as assim “eternamente” ao nosso genoma. E isto, reparem, não é necessariamente danoso ao seres humanos. Nesta linha de raciocínio os vírus bem podem estar influindo na evolução humana e podem ter participado de algum modo nos processos de criação da vida em nosso planeta ou algures! (...)
-----------

Como eu era romântico e inocente. Melhor que meu livro ainda seja um segredo astronômico e cosmológico.




quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

VAZAMENTO NO GROG DO CHARLES!





 
ATENÇÃO! BOMBA! URGENTE! O GROG DO CHARLES COMEÇOU A VAZAR POR PURA INVEJA DO WIKILEAKS!


O site de Julian Assange, o hoje mundialmente famoso, Wikileaks, faz afirmações bombásticas acerca de vários países, inclusive o Brasil. De nós disse coisas que “ninguém” sabia. Muito menos a imprensa ame$trada. Ontem, 30/11, o Jornal Nacional entrou em campo em defesa prévia do governo brasileiro e já tratando o assunto do Wikileaks como mera fofoca. Esse grog revelará agora, entretanto, que, embora o site wikileaks não passe de um golpe publicitário antiamericano, quanto ao Brasil suas informações procedem. O material que ele publica com aparência de escândalo é feito sob medida para desinformar mais ainda a opinião pública mundial. O Brasil entrou em cena porque nada disso faria sucesso por aqui se não estivesse envolvido em pilhéria, em gozação, em chacota, e não servisse à desinformação quanto à verdadeira natureza do governo Lula. E como manobra diversionista nada melhor do que dar aparência de fofoca a fatos escandalosos que mostram a pouca vergonha desses dois últimos governos de FHC e Lula. Assim procede a mídia assustada com as "revelações'.


Mas, embora o material divulgado tenha a aparência de fofoca, escândalo de tablóides, no Brasil ele assume um significado diferente. De repente eu percebi que até eu sou um “vazador” de informações que a mídia e a população brasileira desconhecem. Por isso esse GROGUEIRO reinvidica os créditos das denúncias que faz há anos e torce para que o “fofoqueiro” Julian Assange publique tudo. Enumero-as.

O presidente Lula é um comunista de quatro costados!

 


A Dilma Roussef é socialista, terrorista, autora e participante no passado de atentados contra a vida e o patrimônio alheio.


Capitão Charles Chandler, assassinado pelo grupo de Dilma Roussef



O Brasil do governo socialista de FHC e Lula é parceiro do narcotráfico latino americano, protegendo e dando garantias econômicas à produção de cocaína, totalmente cartelizada e nas mãos de comunistas revolucionários.

Lula e seu governo está profundamente envolvido com a guerrilha comunista assassina e narcotraficante das FARC.




Raul Reyes, chefe militar das FARC. O nome de Lula estava nos seus computadores.




O governo Lula já tem depositado bilhões de dólares no exterior em paraísos fiscais e bancos suíços. O Lulinha virou fazendeiro e milionário em 3 ou 4 anos.




 
A guerrilha terrorista do MST é comunista e por isso totalmente inimputável.



 
O Brasil cumpre religiosamente os acordos de destruição da família, da tradição religiosa, e implantação do homossexualismo ideológico e disfarçado de direitos humanos, determinados pela NOVA ORDEM MUNDIAL.



 

Lula é um bêbado contumaz.


                                          drunk leaking



O Brasil financia projetos comunistas de poder na América Latina desde que Lula fundou o Foro de São Paulo juntamente com Fidel Castro. Hoje o Foro chama-se UNISUL.




 
Os mensaleiros estão de volta e cotados para o governo da terrorista Dilma Roussef.

O julgamento deles no STF se arrasta e está de atestado médico.

Essas informações são secretas para o povo brasileiro e a mídia ame$trada blogueira “independente”, grandes jornalões, e a mídia televisionada, toda ela assalariada do governo Lula.

No Brasil não há partidos políticos que se oponham à implantação do socialismo.
Essas informações são também cuidadosamente evitadas pela Justiça brasileira, especialmente o STF e o STJ, que desmoralizam in limine qualquer tentativa de punição de companheiros.

O caso da absolvição do Palloci no STF foi escandaloso.




Assim como a não-extradição do assassino comunista Cesare Batisti



e a proteção de Olivério Medina, gerente do cartel da cocaína no Brasil, que recebeu proteção oficial de autoridades brasileiras - sua mulher foi nomeada por Dilma Roussef.



                                                  
                                                              Olivério Medina


Quanto ao envolvimento do governo Lula com o terrorismo islâmico fica claro que a política empregada é a da ocultação de fatos e de evidências.


                                  Xiita na Tríplice Fronteira


Fica claro muito claro, menos para a classe política, totalmente leniente, alheia, e indiferente a esse envolvimento, que o governo brasileiro nutre simpatias cúmplices com governos criminosos islâmicos, comunistas e terroristas.



Lula é incapaz de dizer uma única palavra contra seus “companheiros de idéias” e de práticas.




                    Amor antigo. Arafat, Lula e José Dirceu.


O vazamento de notícias óbvias e de fatos conhecidíssimos para quem faz oposição ao comunismo, ao narcotráfico, e para quem é contra o desmanche da família brasileira, é totalmente redundante. O autor desse GROG faz isso há anos. Seus amigos fazem o mesmo há anos. Há anos a falsa oposição política deliberadamente ignora essas denúncias.